Graduação de Duração e Artificial

Franco-Brasileira

Graduação de Dificuldade em Artificial
A graduação de dificuldade nos diz o quanto difícil será os lances de uma via.

A0 É a utilização de alguma peça ou grampo para progredir, sem (geralmente) necessidade de um estribo. Ex.: pisar em grampos, se puxar em nuts, etc.

A1 Pode ser artificial fixo ou móvel. Se for móvel as colocações são fáceis, em linha reta, sólidas e sem risco de alguma sair.

A2 Artificial moderado. Proteções geralmente sólidas, mas às vezes cansativas na colocação. Talvez uma ou duas peças frágeis acima de uma outra boa, sem perigo na queda.

A2+ Como o A2, mas com várias peças frágeis acima de uma boa. Quedas possíveis de 6 a 10 metros, mas com pouco risco de se chocar durante a queda. Saber encontrar a via pode ser necessário.

A3 Artificial difícil. Métodos de teste necessários. Envolve várias peças frágeis em sequência. Grandes quedas possíveis, podendo passar de 15 metros, mas geralmente sem grandes riscos. Algumas horas são necessárias para completar uma enfiada devido a complexidade das proteções.

A3+ Como um A3, mas com risco de uma queda perigosa. Peças frágeis após longos trechos com peças que só aguentam o peso do corpo, não uma queda. Potencial de se machucar se não for feito um bom julgamento. Geralmente um escalador experiente em artificial demora mais de 3 horas para guiar uma enfiada.

A4 Artificial sério, com bastante risco. Potencial de quedas de 20 a 30 metros são comuns e com aterrissagem incerta.

A4+ Mais sério que A4. Muitas horas para guiar uma enfiada, fazendo com que o escalador sofra longos períodos de incerteza e medo. Freqüentemente exige eficiência nos movimentos, como num ballet, para não soltar a marginal colocação.

A5 Artificial extremo. Nenhuma peça é realmente confiável para segurar uma queda na enfiada inteira. A5 é reservado para enfiadas sem grampos ou chapeletas.

(Livre tradução do livro Big Walls de John Long e John Middendorf)

Oitavo 01Graduação de Duração
A graduação de duração nos diz quanto tempo um escalador experiente irá levar para completar uma via.

D1 – 1 a 3 horas. Ex.: vias do Babilônia, na Urca.
D2 – 3 a 4 horas. Ex.: Italiano com Secundo, no Pão de Açúcar.
D3 – 4 a 6 horas. Ex.: Lagartão. no Pão de Açúcar.
D4 – um dia cheio. Ênfase no cheio. Ex.: Face Leste do Pico Maior, Friburgo.
D5 – um à dois dias. Bivac é normalmente inevitável. Ex.: Contra-Pino, no Pão de Açúcar.
D6 – dois ou mais dias na parede. Ex.: Tragados pelo Tempo, no Corcovado.